Arquivo da tag: história

old_map

01 – O Princípio

E assim aconteceu, enquanto ele retornava de seu ofício seguiu para  seu transporte, onde muitos outros marujos já estavam atracados.
Ao conseguir embarcar naquela barca infernal, podia sentir um odor imundo daqueles outros que ali se encontravam, afinal todos tiveram dias duros.
Ele não se incomodava com isso, pois embora dentro estava fora desse sistema, foi então que teve a maldita ideia, e quis colocá-la em prática.
Suas ideias eram diabólicas, era capaz de observar em seus olhos toda a maldade da humanidade, se é que existe essa humanidade.
Todos os dias seguia assim, como um cão sarnento à exercer seu honesto ofício para sobrevivência.
Mas essa história não é apenas sobre sua maldade, há quem diga que antes disso tudo seu coração já foi capaz de se entregar para uma doce alma, caridosa e bondosa, da qual beleza era da mais pura que se pode notar nessa terra.
Dama da qual o fazia pensar e agir com bondade, possuía um grande tesouro ainda não revelado.

[02 – A Taberna (Parte 1)]

Black Caesar

As geniais trapaças de Black Caesar

Quando falamos de piratas africanos geralmente acabamos pensando nos atuais piratas do Somália. Mas na era de ouro da pirataria também houveram alguns piratas dignos de nota que vieram do continente negro. Este artigo é sobre aquele que, na minha opnião foi o maior entre eles: Black Caesar.

Caesar era famoso por ser grande e forte mas também por sua inteligência afiada e engenhosidade. Conta-se que já era alfabetizado em uma época em que a maior parte da America ainda era analfabeta. Chefe de guerra de sua tribo, escapou de diversas tentativas de ser capturado para ser escravo até que um dia em que ele e mais vinte de seus homens foram enganados por um mercador que usou sua curiosidade e ganância contra ele. Após ver um relógio de bolso (objeto que tornou-se uma obsessão pessoal) ele foi convencido a viajar para a América onde havia joias, armas e instrumentos musicais e artefatos que ele mal poderia imaginar. No meio da viagem entretanto descobriu que estava cativo quando foi algemado enquanto dormia.

Contudo ao chegarem próximos a Florida, conhecendo os céus, ele notou que um furacão logo se formaria. Subornou um dos marujos e os dois homens encurralaram o capitão forçando-os a deixá-los partir em um bote com armas e suprimentos. Remaram até a praia onde puderam mais tarde assistir o navio ser completamente destruído pelos ventos fortes. De fato, ele e o marinheiro foram os únicos a chegarem vivos no continente.

Por seu espírito de liderança logo subjugou o marinheiro e atraiu outros bucaneiros. Inicialmente eles usavam o bote salva vidas para atrair navios passantes. Uma vez a bordo, rendiam a tripulação e saqueavam tudo que podiam ameaçando afundar o navio caso houvesse resistência. Com esse simples estratagema Black Caesar acumulou uma fortuna considerável e uma inegável fama local.

john-Quintor

Ele começou a contratar mais piratas e em pouco tempo estava apto a atacar navios em mar aberto. Foi nesta fase que ele mais demonstrou sua inteligência e os truques que tinha na manga. Por muitas vezes conseguiram fugir de perseguições escondendo-se em rios que entravam no continente. Usando um engenhoso e forte sistemas de polias Black Caesar conseguia puxar barcos inteiros rio acima onde se ocultava até o inimigo ir embora. Outro truque usado era contornar uma ilha e então afundar o navio inteiro em águas rasas, depois cortanto as cordas que o prendiam para fazê-lo emergir novamente.

A ideia de “enterrar tesouro” teve origem nos truques de Black Caesar. Poucos piratas de fato faziam isso, mas ele tinha uma boa razão. Uma de suas principais preocupações eram as patrulhas que costumavam inspecionar o sul da Florida onde ele residia quando não estava em alto mar. Informado dos dias de patrulha ele tinha boa parte de seu tesouro enterrado em ilhotas próximas a Tortuga. Então em termos práticos, ele nunca tinha nada a declarar as autoridades quando questionado. Ele dominava completamente a região e usava a rede informal de escravos dos americanos para se manter informado sobre as movimentações da marinha. Conta-se que ele tinha uma ilhas usada exclusivamente para guardar um harem de pelo menos 100 mulheres e em outra ilha funcionava uma espécie de presídio onde mantinha prisioneiros que poderiam ser úteis mais tarde.

No século 18, Black Caesar foi convidado para trabalhar com ninguém menos que o próprio Barba Negra. Ele serviu como tenente a bordo do ‘Vingança da Rainha Ana’ onde serviu até o dia de sua morte. Na fatídica luta entre Barba Negra e Maynard, ele foi rendido por vários marinheiros no momento em que tentava detonar o paiol de pólvora. Feito prisioneiro foi condenado pelos colonos de Virginia por pirataria e finalmente enforcado em Williamsburg. Mas Black Caesar era tão duro na queda que diz a lenda foi a única pessoa na história a não cuspir sangue nem saltar os olhos quando, na forca, foi pendurado.