Loja de Antiguidades

07 – Loja de Antiguidades

Joaquim correu e entrou sem se questionar, era o mesmo velho da Taberna que o chamava para entrar.

Fechou a porta logo após o guaxinim também ter entrado, acendeu as luzes, e foi possível notar que o local era um grande salão.
Joaquim moveu seu olhar sobre todo o espaço que podia enxergar, então o velho começou à falar:

– Lembra-se da história de ontem? Essa é a antiga loja do mercador, acredito que você não veio parar aqui ao acaso, o inevitável o trouxe. Mas não se assuste.

– O que era que estava me seguindo? – Questionou Joaquim.

– Assim como o antigo mercador, a criatura sabe que você possui aquilo que ela busca, então tenha cuidado, mas não tenha medo, aqui você está seguro.

– Eu olhei a bolsa, de onde você tirou a fotografia do meu avô?

– Ainda há muito para ser revelado Joaquim, mas é preciso ir com calma. Vou contar-lhe um pouco mais, sente-se.

Assim como você, o mercador possuía um grande coração, todas as suas atitudes eram fruto do amor que ele tinha pela vida, até que coisas estranhas começaram à acontecer.
Naquela mesma noite em que a criatura falou com ele, esbarrou em um dos vasos. Quando o vaso quebrou, encontrou este mapa que está na bolsa, este papel dobrado que acredito que você ainda não abriu, porém decidiu apenas proteger até seus últimos dias o mapa.
Alguns dias depois, um morador de rua apareceu querendo vender algo para conseguir dinheiro e se alimentar, possuía apenas uma pedra, que João com seu bom coração além de lhe dar algum dinheiro, o levou para jantar em um restaurante. Lá chegando, conversaram, o mendigo tinha um sotaque estranho, então João questionou sua origem, sou apenas um velho peruano, disse o rapaz enquanto comia, sem falar muito, terminou sua refeição, agradeceu à João, e se despediu sem dar mais nenhuma palavra, e desapareceu na neblina que fazia aquela noite.
João retornou à loja, levando consigo a estranha pedra, e ainda pensando nos acontecimentos daquela noite.

– Então essa pedra é a pedra que o mendigo vendeu? – Questionou Joaquim.

– Sim, o mapa e a pedra, de alguma forma estão relacionados, mas João nunca conseguiu descobrir a relação entre os objetos, então apenas os manteve guardados e seguros.

[06 – Fotografia]

[08 – O Mapa]

Comentários

Comentários