a-taberna-2

03 – A Taberna (Parte 2)

Joaquim ficou em dúvida, sobre o estranho homem, então discretamente ousou também entrar no recinto. Sentou-se ao fundo, com cuidado para não ser visto, e ficou ali observando aquele velho homem sujo, que conversava com a atendente do estabelecimento sentado no balcão.
Joaquim queria muito saber sobre o que conversavam, foi quando o velho olhou para trás e acenou em sua direção, o chamando para juntar-se ao bate papo.

Assustado, olhou para os lados e para trás, pois não acreditava que fosse com ele, foi então que o velho disse:
– Joaquim, sente-se mais próximo.
Em pensamento questionou:
– Como ele pode saber o meu nome?
Então sentou-se junto ao balcão, muito tímido ficando de cabeça baixa.
– Joaquim, sei que está confuso e com medo, mas acalme-se, existe algo que você precisa saber antes de sair deste local. – Falou a atendente – Existem muitas coisas que foram guardadas para serem ditas à você apenas na hora certa.
– E esta é a hora. – Disse o velho – Beba um copo de água, preciso lhe contar uma longa história.
Joaquim ficou com um ar de questionamento, afinal, como aquele velho nunca visto antes por ele poderia ter algo a lhe contar? Como poderia o conhecer?
Então apenas disse:
– Tudo bem, mas como você me conhece? Qual o seu nome? De onde veio? Eu nunca o vi antes por aqui.
– Calma garoto, tudo em seu tempo, e esse é o tempo para que a história seja revelada à você, e com o tempo tudo fará sentido em sua mente. – Disse o velho.
Joaquim acenou como se estivesse dando um “ok”, e então o velho começou a falar.

[Capítulo 2 – A Taberna (Parte 1)]

[Capítulo 4 – A Vila]

Comentários

Comentários